Pages

29 de novembro de 2009

A adopção.


Sabias que:



- Para poderes adoptar uma criança, tens de ter pelo menos 4 anos de casamento.

- Tens de ter um quarto "equipado" para a criança em questão.

- Tens visitas surpresa da segurança social em casa.

- As crianças que estão nos centros de acolhimento muitas vezes deitam-se com fome.

- Essas mesmas crianças sonham pelo dia que entra alguém naquele "portão grande".

- Elas tem consciência que quando entra alguém por esse portão é para levar uma delas.

- Agarram-se a ti e dizem-te com os olhos a brilhar "Tita leva-me pra casa contigo".

- Depois de serem adoptadas as crianças tem 1 ano á experiência com os novos pais.

- Se não correr bem, se a criança não se adaptar ou se os Pais não se adaptarem podem sempre "devolver" a criança á instituição.

- Muitas dessas crianças "devolvidas" ficam com traumas para toda a vida.


Quando entrei pela primeira vez numa destas instituições, saí de lá a chorar. E se há coisa neste Mundo que eu NUNCA vou esquecer, são os olhares daquelas crianças. Tudo o que me contaram. E principalmente o " Vais levar-me contigo hoje?"
Como é que se diz a estas crianças que não?

"Hoje não te vou levar."

13 comentários:

continuando assim... disse...

é espantoso!! inacreditável ! tantas crianças sem nada ... etanta complicação ...

bj
teresa

Onisa disse...

Faltou um:

Se fores família de acolhimento de uma criança e ela passe a "adoptável", essa mesma família não se pode candidatar à adopção dessa criança. O que no mínimo é ridiculo. Pra quê sujeitar a criança a uma nova adaptação e vinculação???

Enfim..são as leis que temos mas que no fundo no fundo até resultam e que em última analise protegem os interesses das crianças.

Kiss kiss

Kika disse...

Eu gostava de adoptar uma criança. Mas acho que pior que esses critérios, é o tempo e o esforço emocional que envolve, porque criam-se expectativas de ambas as partes...

Síndrome dos Trinta disse...

Há crianças muito mal-tratadas no seio da sua família progenitora e nada se faz, é um cruzar de braços autêntico. Mas para adoptar, nem tão pouco o pode fazer uma família monoparental! Concordo com determinada vigilância e algumas visitas surpresas, mas não vamos cair em panóplias burocráticas que fazem com que muitas destas crianças nunca venham a ser adoptadas!

Me disse...

Ainda este fim-de-semana conversámos sobre isso... uma colega do R. está quase há dois anos inscrita e neste momento está a planear uma viagem à Madeira porque, por incrível que pareça, as bases de dados não são comuns... e lá o processo é mais rápido.

Bisouxxx

T. disse...

É realmente duro.
Quando estive nos Bombeiros, fui a algumas instituições, e percebo perfeitamente o que dizes, e recordo-me tão bem dos olhares que descreves. Dói mesmo.

Beijinho

Tita disse...

Fogo, não sabia de todo que era assim mesmo como nos filmes!!!!
Os meus olhos encheram-se de lágrimas.... Que tristeza!!!!
bjos

Lia disse...

acho que as leis deviam ser tão mais flexiveis...quem quer adoptar só devia ter que mostrar que tem amor para dar aquelas crianças!

Dina disse...

Se tivesse uma vida mais desafogada, o meu sonho seria mesmo adoptar uma criança. Elas merecem tudo! Conheço um casal que «devolvou» uma criança passado um ano porque finalmente eles conseguiram engravidar. Achei do mais cruel que pode haver!

Indecisa disse...

:(

bjinho linda

Cat disse...

Isso é tão triste =$ Não consigo nem imaginar. As outras coisas até acho bem, as visitas da segurança social e teres de ter condições para receber a criança. É uma forma de "rastrear" à partida quem terá condições e quem não. Mas os 4 anos de casamento acho péssimo. Então e se o casal não for casado? Ou se eu decidir que quero ser mãe solteira? Ou se tiverem só três anos de casamento?

Hermione disse...

bolas... bem, pelo menos que isto sirva para cada um de nós dar valor ao q temos... beijinho

Teresinha disse...

=((